Conheça algumas plantas ornamentais que podem colocar a vida de crianças e animais em risco

Infelizmente, não é incomum casos de intoxicação como estes. Veja algumas plantas que você NÃO deve ter em casa se tiver crianças pequenas e animais:

Essa é da série de plantinhas de vó. A caladium bicolor, conhecida vulgarmente como: caladio, tinhorão, tajá ou crote… É uma linda plantinha bulbosa com inúmeras variações de cores e portes. Gosta da meia sombra e vai bem em jarros ou canteiros. Se multiplica facilmente por fiozinhos que brotam ao lado da planta mãe! A cerca de 1000 variedades de caladio. Algumas dão certo em sol pleno, outras apreciam até ambientes internos! É uma planta que quase toda vovó tem, porém tem de ter cuidado com as crianças. Pois a maioria são tóxicas devido aos cristais de oxalato de cálcio e saponinas que contém em suas folhas.

É uma planta de folhas grandes, com duas ou mais cores e tonalidades de branco, verde, rosa ou vermelho. É também conhecida como caládio, tajá, taiá e coração-de-jesus

Tinhorão (Caladiun bicolor)

Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia picta)

 

Conhecida pelos nomes comuns de comigo-ninguém-pode e aningapara , é uma planta da família das Araceae muito apreciada como ornamental de interiores, dada a sua tolerância à baixa luminosidade ambiente e baixa umidade relativa do ar. Produz grandes folhas variegadas, com vários tons de verde e amarelo, lustrosas e duradouras, o que o torna muito interessante em decoração de interiores. Em algumas regiões do mundo, a sua popularidade como planta doméstica é acrescida devido à fama que a planta leva de “espantar o mau-olhado e maus-espíritos”.

Copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica)

Costela-de-Adão (Monstera deliciosa)

Hera (Ficus pumila)

Taioba-brava (Colocasia antiquorum Schott)

Essas plantas têm em comum o oxalato de cálcio como princípio.

O que pode acontecer se a criança ingerir essas plantas

Os sintomas são basicamente os mesmos, se qualquer delas for ingerida. A criança tem uma sensação de queimação, sente náusea e pode vomitar. Os lábios, a língua, a glote e a faringe incham, impedindo a passagem de ar, o que pode levar à morte por asfixia, caso a criança não seja socorrida a tempo.

Se houver contato com os olhos, pode ocorrer irritação, lacrimejamento, ferimentos na córnea e fotofobia. Qualquer contato com a pele e mucosa precisa ser evitado.

O que fazer em caso de intoxicação?

A doutora em pediatria, Renata D. Waksman, dá algumas orientações importantes:

Se houve ingestão, é preciso verificar se ainda há resto da planta na boca da criança e removê-lo.

Em seguida, lavar a boca com água corrente.

Verificar se há vermelhidão ou inchaço na língua e garganta. Se houver, ligar para o pediatra ou ir imediatamente a um pronto socorro ou ao Centro de Assistência Toxicológica mais próximo.

Se o contato foi com a pele, lavar a região afetada com água corrente por cerca de 10 minutos.

Se houve contato com os olhos, fazer uma lavagem com os olhos abertos em água corrente, “de forma demorada e cuidadosa”.

Ao levar a criança ao pronto socorro, levar junto uma amostra da planta.

JAMAIS provoque vômito na criança, a não ser que receba essa orientação de um pediatra ou outro profissional competente.

Leia: Bebê começou a babar e entortar a boca e as mãos, foi quando a mãe percebeu que o perigo estava dentro de casa.

Se suspeitar que seu animalzinho comeu alguma planta tóxica, entrar em contato com o médico veterinário e seguir suas orientações.

 

Deixe uma resposta