Bebê de 1 ano é mordido várias vezes no rosto e nas costas em creche em SP

Segundo a mãe, que fez BO, diretora disse que não sabia como o fato tinha ocorrido; Secretaria de Educação afirmou que foi um caso isolado.

A mãe e os avós de um bebê de 1 ano e 6 meses registraram um boletim de ocorrência na delegacia de Leme (SP) após a criança ser pega na creche com várias mordidas nas costas e no rosto.

Segundo o B.O., Najara Caterine da Silva Fonseca foi buscar seu filho Benjamin, de um ano e meio, na creche Professora Judith Vivona de Campos, na tarde de quarta-feira (25), e notou as marcas no corpo da criança que estavam sangrando.

A mãe questionou a diretora da escola que disse não saber o que tinha acontecido, apenas que foi informada do ocorrido, por volta das 14h.

“Ela [a diretora] deveria ter ligado para a minha filha no momento que soube que o tinha acontecido. E ela nem avisou quando a minha filha foi buscar o Benjamin. Foi minha filha que viu e questionou a diretora e ela não soube explicar”, contou a avó da criança, Rosely Aparecida da Silva.

Ela disse que havia cerca de 10 marcas no corpo do bebê e as feridas são profundas. A criança passou por exame de corpo de delito.

Rosely foi até a creche na sexta-feira (27), mas não conseguiu falar com a diretora que não estava. Ela disse ainda que as crianças não estão mais tomando banho, nem trocando de roupa na creche.

Ameaça
Neste sábado (28), o avô da criança, Marco Aurélio da Silva, e Najara fizeram um novo boletim de ocorrência na delegacia de Leme, desta vez por ameaça. Segundo Silva, quando a filha foi buscar o bebê na creche, foi abordada por uma monitora que disse que as postagens feitas pela família sobre o caso no Facebook estavam constrangendo os funcionários da creche e que se ela não confiava no trabalho deles, deveria tirar a criança da creche.

Ele disse que Benjamin começou a ir à creche em fevereiro deste ano, mas não irá mais voltar. “A gente tinha dado um voto de confiança, mas depois do que aconteceu ontem (sexta), ele não vai mais. O caso em relação àquela creche está encerrado, perdeu a credibilidade”, afirmou.

Caso isolado

A Secretaria Municipal de Educação divulgou nota no Facebook dizendo que foi um caso isolado que não condiz com a realidade das unidades escolares e que foram tomadas as medidas cabíveis. A secretaria defendeu os servidores da rede de ensino: “A Secretaria de Educação tem a certeza de que todos os servidores trabalham com muito empenho e dedicação a fim de zelar pela integridade de todos os alunos”, dizia a nota.

Segundo a declação da Secretaria de Educação, a direção da creche e a equipe pedagógica da Secretaria conversaram com as famílias “para explicar os fatos ocorridos, os quais foram perfeitamente compreendidos pelos pais”.

O G1 tentou entrar em contato com a assessoria de imprensa da prefeitura de Leme para confirmar as informações da postagem, mas não conseguiu contato.

Deixe uma resposta