Estudante baleada por colega em escola de Goiânia está paraplégica, diz hospital

Isadora de Morais, de 14 anos, sofreu uma lesão na medula que comprometeu, em definitivo, o movimento das pernas; mãe diz que a menina chegou a pedir ‘as pernas de volta’ aos médicos.

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) confirmou, na manhã desta quarta-feira (25), que a estudante Isadora de Morais, de 14 anos, baleada por um colega no colégio em que estuda, está paraplégica. Segundo o último boletim divulgado pela assessoria de comunicação da unidade, a menina sofreu uma lesão na medula e perdeu o movimento das pernas.

“A adolescente apresenta uma lesão na medula espinhal, no nível da 10ª vértebra da coluna torácica, que comprometeu os movimentos dos membros inferiores de forma definitiva. A paraplegia já havia sido diagnosticada no dia de sua admissão”, informou o hospital.


De acordo com a nota, Isadora continua internada em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) humanizada, com estado de saúde regular. A menina está, segundo o hospital, orientada, consciente e respirando sem a ajuda de aparelhos.

Além de Isadora, continua internada a estudante Marcela Macedo, 14, que segundo a assessoria de comunicação do Hugo está internada em uma enfermaria com estado regular.

Já Lara Fleury, que estava internada no Hospital dos Acidentados, recebeu alta médica na terça-feira (24). Na mesma data, ela divulgou um áudio para agradecer o apoio das pessoas e revelou que está se recuperando.
A mãe de Isadora, Isabel Morais, disse durante um culto em homenagem às vítimas dos tiros, realizado na terça, que a filha pediu “as pernas de volta” aos médicos. A mãe da adolescente afirmou ainda que tem fé de que a filha possa se recuperar.

“Ela me disse: ‘Mamãe, morri e parecia que estava em um sonho e acordei de novo. Fala para os médicos que quero minhas pernas de volta’. Acredito, creio que Deus vai recuperar a medula da minha filha, sei que Deus faz o impossível, mas também sei que minha dor não é maior do que a de quem perdeu os filhos”, completou.

Outras notícias relacionadas:

Coordenadora conta como parou aluno que matou 2 em Goiás
Estudante que atirou dentro de escola está ‘arrependido’ e ‘abalado’, diz advogada

Leia também:

Pais desistem da filha doente e a abandonam em hospital: “Não tem mais jeito”
Mulher adota menino órfão de 7 anos que pesava apenas 4,5kG. Um ano depois ele está completamente irreconhecível!!

Deixe uma resposta