Mãe raspa mecha de cabelo para ficar igual à filha que operou

A pequena precisou fazer uma cirurgia para retirar um tumor. Entenda o caso e veja a opinião de uma psicóloga infantil sobre a questão.

Para os pais, receber a notícia que o filho está doente não é nada fácil. A americana Jamie Dawn Beckstead enfrentou essa situação quando a pequena Faith May, de apenas 5 anos, precisou realizar uma cirurgia para remover um tumor cerebral que estava pressionando o seu nervo óptico e prejudicando a hipófise – glândula que desempenha várias funções, entre elas, auxilia no crescimento.

 

Embora tudo tenha corrido bem durante o procedimento, os médicos precisaram raspar uma faixa de cabelo da garotinha, que ficou triste quando soube o que havia acontecido. Foi então que a mamãe da menina teve uma ideia para alegrá-la e resolveu copiar o penteado da filha que, assim, passou a se sentir representada.

A história de Faith foi compartilhada na página do Facebook Love What Matters e teve mais de 18 mil curtidas. A publicação também recebeu diversos comentários de pessoas que elogiaram a atitude tomada por Jamie e de outras mães que compartilharam fotos dos seus filhos que passaram por operações parecidas.

Opinião da especialista

Vemos com frequência notícias de pais que fizeram algum tipo de mudança física para ficarem iguais aos pequenos que estavam passando por uma situação complicada – como raspar o cabelo no caso de tratamento de câncer e até mesmo fazer tatuagens para simular manchas de nascença. Mas o que essa atitude realmente representa?

“É um lindo ato de amor quando a gente pode dizer para uma criança que está tudo bem ela, que ela é amada e considerada do jeito que está. É importante termos empatia por esse momento tão difícil que acontece não só com os pequenos, mas com os adultos também. Significa olhar e se aproximar do outro com total amor e consideração”, afirma Bárbara Catarina, psicóloga infantil da equipe Conversa de Criança, de São Paulo.

A profissional ainda ressalta que condutas desse tipo ajudam na recuperação dos pequenos que estão passando pelo processo de formação e desenvolvimento emocional. “Não necessariamente os pais precisam raspar o cabelo para se aproximar dos filhos. Estar presente também faz com que eles se sintam amados e acolhidos. É uma figura de afeto mostrando que juntos vão passar por aquilo da melhor maneira possível”, explica.

Deixe uma resposta