Mãe de estudante morto na escola diz que atirador não agiu sozinho: ‘Pais tão ou mais culpados do que ele’

João Vitor Gomes, de 13 anos, estudava com o autor dos disparos há pelo menos quatro anos em um colégio de Goiânia. Além dele, outro aluno morreu e mais quatro ficaram feridos durante ataque.

Os pais do estudante João Vitor Gomes, de 13 anos, que foi morto dentro da sala de aula, disseram que nada justifica o que aconteceu, até mesmo pelo fato de o atirador, de 14 anos, ser amigo de escola do filho, em Goiânia. Além do primogênito do casal, os tiros causaram a morte de outro menino e deixaram quatro colegas feridos.

Pais de João Vitor se emocionam ao falar da morte do filho em colégio de Goiânia (Foto: Paula Resende/G1)

“Nada justifica, o menino era amigo de escola dele, se torna ainda mais difícil. Não é revolta, é indignação, estou indignada com tudo. Os pais são tão ou mais culpados do que ele, tinha uma arma ao alcance dele [atirador]”, disse a mãe do menino, a gestora de eventos Katiuscia Gomes Fernandes, de 40 anos, em entrevista exclusiva ao G1 e à TV Anhanguera.

O G1 entrou em contato com a defesa da família do atirador após a declaração, mas não obteve retorno. Anteriormente, a advogada Rosângela Magalhães havia dito que o menino estava arrependido e abalado, assim como os pais dele, que são policiais militares.

“Ele disse que está arrependido. Ele está abalado, como o pai, a mãe, todo mundo. A mãe está internada, o pai visivelmente não está bem. Ninguém imaginava que isso pudesse acontecer”, disse a advogada.

De acordo com os pais de João Vitor, o filho e o atirador estudavam há pelo menos quatro anos juntos. Porém, eram amigos na escola, pois não frequentavam a casa um do outro e os pais não se conheciam.

Mãe de João Vitor Gomes chora ao enterrar o corpo do filho, em Goiânia (Foto: Danila Bernardes/ TV Anhanguera)

“O João Vitor me falava que eles jogavam RPG [jogo de interpretação de papéis] juntos no recreio. Eles também estavam fazendo um projeto da escola juntos”, contou a mãe.

Além de João Vitor, o casal possui mais dois filhos, sendo um menino de 11 anos e uma menina de 8 meses de vida. “Só Deus é capaz de me dar forças para continuar vivendo. Tenho mais dois filhos e preciso de forças para cuidar deles”, disse a mãe.

Os pais contam que João Vitor se dedicava muito a tudo que fazia.

João Vitor Gomes foi morto por colega no Colégio Goyases (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

O crime aconteceu na manhã de sexta-feira (20) em uma sala de aula do 8º ano do Colégio Goyases, no Conjunto Riviera, em Goiânia. O garoto disse à Polícia Civil que se inspirou em massacres como o de Columbine e Realengo. Ainda conforme depoimento do adolescente, ele levou a pistola .40 da mãe para a escola dentro da mochila. Além das mortes de João Vitor e João Pedro Calembo, outros quatros alunos, da mesma sala, foram baleados. Um deles, Hyago Marques, recebeu alta neste domingo e já se recupera em casa, mas outros três continuam internados.

Deixe uma resposta