Menina de 11 anos é estuprada por 14 homens durante baile funk em SP

Uma criança de 11 anos foi estuprada por pelo menos 14 homens durante um baile funk em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O boletim de ocorrência sobre o abuso foi registrado no domingo (22), na Delegacia Sede da cidade. A polícia está investigando o caso para tentar identificar quem são os autores do crime.

Uma amiga da família da vítima, que preferiu não se identificar, contou ao G1 que a menor a procurou na sexta-feira (20), falando que havia sido abusada. “Ela chegou na minha porta e pediu para dormir na minha casa. Ela me contou do estupro, e eu já tinha marcado uma consulta para fazer exames, mas no domingo ela sentiu uma dor forte e a levei ao hospital”, explica.

No local, a médica que estava de plantão, ao fazer alguns exames, constatou que a menina havia tido relações sexuais recentes. Como a testemunha que a acompanhava não era parente da vítima, os funcionários do hospital decidiram acionar o Conselho Tutelar da cidade, que enviou um representante à unidade de saúde para conversar com a menina.

A conselheira apurou com a menina que ela havia sido abusada por 14 homens durante um baile funk no bairro Vila Mirim, em Praia Grande. A vítima contou que não os conhecia e não soube dizer se eles usaram preservativos. “Ela me disse que rolou muita bebida na festa. Ela tem 11 anos, vai pela cabeça dos outros, é muito influenciada”, conta a mulher que abrigou a vítima.

De acordo com informações da polícia, após a constatação do estupro, a criança foi encaminhada para o Conselho Tutelar, onde permanece sob a guarda do órgão. “Ela passou na minha casa e pegou algumas roupas. Não conversei mais com ela, pois a conselheira veio junto e não nos sentimos muito à vontade”, conta.

A mãe da menina foi procurada pelo Conselho Tutelar, mas, segundo informações da polícia, ela está internada em um hospital da cidade com problemas de saúde. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil que, até o momento, não sabe quem são os homens responsáveis pelo crime. As circunstâncias do estupro devem ser apuradas pela Delegacia da Mulher da cidade.

Em contato com o G1, a Prefeitura de Praia Grande confirmou que a criança foi atendida no PS Quietude e, em seguida, encaminhada ao Serviço de Acolhimento do município, onde está recebendo os cuidados cabíveis em relação à saúde e proteção. A administração municipal também prometeu ceder imagens de câmeras de monitoramento à Polícia Civil, assim que o local exato do crime for revelado pelas autoridades.

Deixe uma resposta