Vídeo mostra Lázaro sendo carregado para ambulância pela polícia de GO

Imagens realizadas na manhã desta segunda-feira (28) mostram o momento em que Lázaro Barbosa, de 32 anos, conhecido como “serial killer” do Distrito Federal, chega a base da polícia, em Goiás.

Governador de Goiás, Ronaldo Caiado, confirmou prisão de Lázaro Barbosa após 20 dias de buscas 

Saiba mais detalhes clicando aqui: Lázaro morre após ser preso em Goiás

Durantes os dias de fuga cinematográfica, ele invadiu fazendas, baleou quatro moradores, um policial e fez uma família refém. O secretário de segurança pública, Rodney Miranda, informou que ele seguia um ritual ao atacar as vítimas.

“Ele leva para beira do rio, manda tirar as roupas e uns ele acaba matando. Acredito que esse seria o destino dessa família hoje”, disse secretário.

Veja o histórico de prisões e fugas:

  • 2007: Lázaro Barbosa foi preso em Barra dos Mendes, na Bahia, acusado de duplo homicídio. Secretaria de Segurança Pública do Estado diz que ele fugiu cerca de 10 dias após a prisão e é considerado foragido desde então.
  • 2009: Lázaro foi preso no Complexo Penitenciário da Papuda (CPP), em Brasília, suspeito de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo.
  • 2013: Laudo psicológico feito na Papuda descreve Lázaro como “psicopata imprevisível”, com comportamento agressivo, impulsivo, instabilidade emocional e falta de controle e equilíbrio.
  • 14 de março de 2014: Prisão de Lázaro foi convertida para regime semiaberto.
  • 28 de março de 2016: Lázaro fugiu da cadeia.
  • 8 março de 2018: Lázaro Barbosa foi preso em Águas Lindas de Goiás devido à três mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro.
  • 23 de julho de 2018: Lázaro fugiu da cadeia de Goiás.
  • 8 de abril de 2020: ele foi indiciado pelos crimes de roubo mediante restrição da liberdade das vítimas e emprego de arma branca e por tentativa de latrocínio, pois é suspeito de invadir uma chácara em Santo Antônio do Descoberto, em Goiás, e golpear um idoso com um machado.
  • 26 de abril de 2021: Ele invadiu uma casa no Sol Nascente (DF), quando trancou pai e filho no quarto e levou a mulher para um matagal e a estuprou.
  • 17 de maio de 2021: Segundo a polícia, ele fez uma família refém na mesma região, ameaçando os moradores com faca e arma de fogo. Nesse crime, ele mandou as pessoas ficarem nuas e, das 19h até meia-noite, prendeu os homens no quarto e as mulheres tiveram que cozinha e servir um jantar para ele.
  • 9 de junho de 2021: Lázaro é suspeito de invadir uma chácara no Incra 9, em Ceilândia (DF), onde teria matado a tiros e a facadas um casal e dois filhos.
  • 9 de junho de 2021: Roubou uma chácara em Ceilândia após o assassinato da família. Ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele.
  • 11 de junho: Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás, queimou e abandonou um carro roubado usado na fuga;
  • 12 de junho de 2021: Ele atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região e dois estavam em estado grave até a terça-feira (15).
  • 13 de junho de 2021: Furtou um carro e o abandonou na BR-070 dando sequência à fuga para uma mata.
  • 14 de junho de 2021: Caseiro de Cocalzinho de Goiás disse à polícia que atirou em Lázaro Barbosa após ele falar que ia entrar na casa. Chacareiro relatou que ele fugiu depois de ser atingido.
  • 15 de junho de 2021: Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante buscas do suspeito. Delegado diz que Lázaro fez casal e adolescente reféns em Edilândia, povoado de Cocalzinho.
  • 16 de junho: Lázaro Barbosa foi visto por um morador em uma área rural;
  • 17 de junho: a polícia retomou as buscas em matas da região e mudou a base de operação pela segunda vez. Houve nova troca de tiros e secretário de segurança pública acredita que ele esteja ferido.
  • 18 de junho: houve intensa movimentação da força-tarefa após denúncia de que criminoso havia sido visto em chiqueiro de chácara. Barreiras em estradas e rodovias foram montadas.
  • 19 de junho (sábado): a houve uma grande movimentação de policiais na região de Águas Lindas de Goiás depois que moradores afirmaram terem visto o suspeito pela região. Um deles chegou a contar que viu Lázaro em uma gruta. No mesmo dia, uma cadela que atuou em Brumadinho e outros três cães farejadores chegam para ajudar nas buscas por Lázaro Barbosa.
  • 20 de junho (domingo): com medo de Lázaro, uma família com grávida dormiu dentro de carro em frente à sede da força-tarefa em Cocalzinho de Goiás. Novas buscas ocorrem na zona rural.
  • 21 de junho (segunda-feira): Pela manhã uma moradora denunciou que viu um homem, parecido com o fugitivo, passar por uma propriedade rural. Policiais e bombeiros com cães farejadores acompanharam a mulher para fazer uma verificação na área. Militares de vários batalhões vasculharam casas rurais em busca de pistas e rastros que Lázaro possa ter deixado.
  • 22 de junho: policiais retomam buscas por Lázaro e recebem rádios comunicados do Exército Brasileiro com alcance de 30km. Pela manhã, equipes periciaram um carro que foi encontrado queimado e, à tarde, um lençol e um serrote, que foram encontrados em um local onde o criminoso pode ter se abrigado, em Águas Lindas de Goiás. À noite, um novo cerco foi montado após troca de tiros entre caseiro e suposto invasor.
  • 23 de junho: a SSP disponibilizou um aplicativo para que moradores em uma área de 100 km de distância da região de busca possam fazer denúncias ou pedidos de ajuda. Equipes fizeram buscas em áreas de chácara, mas não conseguiram localizar pistas do fugitivo;
  • 24 de junho: a força-tarefa saiu durante a tarde para fazer buscas em uma região de chácaras de girassol. O secretário de segurança, Rodney Miranda, saiu em uma viatura descaracterizada. Helicópteros também sobrevoaram a região. Um fazendeiro e um caseiro foram presos suspeitos de ajudarem Lázaro Barbosa a fugir da polícia;
  • 25 de junho: a operação continuou em buscas pelo fugitivo na mesma região onde o caseiro e o fazendeiro foram presos suspeitos de ajudarem na fuga. O secretário de Segurança, Rodney Miranda, esteve no local para acompanhar.

Deixe uma resposta